segunda-feira, 6 de março de 2017

Como controlar os pensamentos



     Como seria bom se tivéssemos interruptores conectados ao nosso corpo, com os quais pudéssemos desligar, automaticamente, os nossos pensamentos e as nossas emoções. Nem que, só de vez em quando. Que pudéssemos sintonizar melhor a nossa frequência, nos puxarmos um pouco mais "para cima". Nos equilibrarmos. Nos retirarmos da inércia. Diminuirmos os ruídos da nossa mente.

Infelizmente, esses interruptores automáticos não existem, mas temos comandos internos que nunca nos ensinaram a utilizar. E, que alguns, ao contrário,  nunca precisaram ser ensinados e dominam como ninguém. Acredito que essa seja a grande diferença, entre pessoas que desenvolvem dificuldades em gerir seus pensamentos e emoções e as que sabem gerir isso como ninguém e que nunca desenvolvem depressões.

Parece absurdo, mas a maior parte de nós ainda não trilhou esse percurso de auto-conhecimento e nem sabe se ele fica para norte ou para sul. Ou, sequer se ele existe. A maior parte de nós procura respostas fora de si, quando é tão simples olhar para dentro.

Mas afinal, a que nos conduz esse caminho de "auto-conhecimento"? É simples, conduz-nos apenas a vivermos em equilíbrio e a descobrirmos quem somos. Mas para lá chegarmos, existe todo um processo, justamente de auto-conhecimento e de auto-controlo. E, só são necessárias duas coisas, vontade e treino.

O passo mais importante neste percurso é aprender a controlar os pensamentos e é incrível como a maior parte de nós desconhece que essa capacidade está ao seu alcance. E por isso eu separei 4 técnicas que eu aprendi a aplicar e que hoje partilho.



Expresse o oposto do que a sua mente sugere



Todo pensamento emite uma frequência energética, que por sua vez, se ganhar a nossa credibilidade ganha força e transforma as nossas emoções para a mesma frequência. Então, a única forma de manter as nossas emoções equilibradas é controlando o que pensamos.

Para isso, sempre que você pensar por exemplo, “Eu não tenho mais forças”, você deve expressar mentalmente que "isso não é verdade" e dizer mentalmente a ideia oposta, como "Eu tenho muita força, sou capaz de ultrapassar isto".

Você não precisa acreditar no que diz, apenas contrarie mentalmente os pensamentos que você quer eliminar. O nosso cérebro não distingue entre o que é real e imaginário e com o tempo ele vai conceber o que você diz como uma verdade.




Crie expressões de bloqueio



Você também pode criar uma expressão que bloqueie esses pensamentos que você pretende contrariar. Eu uso muito “Puta que pariu” para que a frequência energética daquele pensamento perca força. E funciona, como funciona! Mas você pode criar a sua própria expressão, tem é que ter força. Imagine que o seu pior inimigo entrou na sua casa, o que você diria para ele? Trate seus pensamentos negativos da mesma forma. Domine-os. Mande-os embora.




Altere as emoções



Se as suas emoções estão desestabilizando você isso é sinal de que você não conseguiu controlar os seus pensamentos e eles alteraram a sua frequência vibratória. Assim, da mesma forma que você expressou mentalmente o oposto do que a sua mente o levou a pensar, expresse mentalmente o oposto das suas emoções. Quando se sentir desanimado, em baixo, para não se manter nessa mesma frequência vibratória, expresse mentalmente frases, expressões e até palavras que lhe tragam a frequência em que você quer vibrar. Por exemplo, se alguém o tira do sério, você pode mentalizar repetidamente a palavra “equilíbrio”, ou, se sentir que pessoas à sua volta podem não contribuir muito para o seu bem estar, diga “só quero qualidade à minha volta” e não se espante se algumas pessoas se levantarem e forem embora, porque isso pode mesmo acontecer.


Pratique!



Crie post-its com frases que te motivem, coloque um por exemplo na sua mesa de cabeceira, que diga “Hoje vai ser um grande dia”, para que quando acordar seja a primeira coisa que leia. Espalhe pela casa se puder, ou pelo quarto. “Eu sou capaz, eu quero, eu consigo”; “Eu supero tudo”. Coloque alguns post-its no bolso da sua calça ou do seu casaco. Sempre que sentir necessidade, leia, esteja onde estiver. Mais uma vez, você não precisa acreditar no que lê, você só tem que se habituar a pensar de uma forma positiva. Pratique!