terça-feira, 25 de agosto de 2015

O poder das palavras


As palavras têm uma força tremenda. 

Parece cliché. É. Mas não é. 


Tudo ao nosso redor emana uma frequência energética. Tudo o que dizemos e pensamos possui uma frequência. E por esse motivo é essencial que valorizemos o que é bom e reciclemos o que é mau. Seja o que nos dizem, seja o que pensamos. 

Não estamos livres de ouvir coisas que não gostamos. É preciso refletir se apesar de mau, o que nos disseram tem alguma relevância, se é um alerta para alguma postura menos boa da nossa parte. Se for apenas uma ofensa gratuita não devemos valorizar. Devemos reciclar a informação que ouvimos. Se a frequência do que nos foi dito não é boa não devemos alimentar reflexões. Elas serão certamente destrutivas.

É simples e complexo em simultâneo. É simples porque está ao alcance de qualquer um de nós ter esse discernimento. E complexo porque nascemos e crescemos sem trabalharmos em nós essa capacidade. De reciclar o que pensamos. De focar no que é realmente positivo e relevante. Despender energia apenas com o que realmente é importante.



Não aprendemos a ser seguros do que somos


Crescemos a valorizar que nos apontem os nossos defeitos, que firam o nosso orgulho ou que nos rebaixem. Não aprendemos a ser seguros do que somos. Não aprendemos sequer a saber quem somos. E muitas vezes, desenvolvemos depressões, apenas porque não conseguimos manter o distanciamento necessário de determinadas pessoas e situações.  Cultivamos pensamentos e por sua vez emoções que apenas consomem a nossa energia.

Existe um estudo efetuado com moléculas de água, pelo japonês Masaru Emoto, que comprovam através da física quântica, o poder das palavras, o poder do que pensamos e proferimos. Abaixo um pequeno vídeo.